Cartórios irão desburocratizar o Brasil

8 de junho de 2018

Na contramão do que acontece com alguns setores, os cartórios extrajudiciais estão se modernizando “a todo vapor” para facilitar cada vez mais a vida do cidadão.

Só no ano de 2017, os serviços notariais e registrais já solucionaram milhares de casos que antes só eram resolvidos lentamente no âmbito judicial.
Um exemplo disso são os inventários e os divórcios, que hoje já são solucionados diretamente em todos os cartórios do Brasil.
Ainda, com a recente regulamentação da usucapião extrajudicial, o que se demorava anos para se decidir judicialmente, agora pode ser realizado diretamente nos Tabelionatos e Registros Imobiliários em poucas semanas.
O Tabelião de Notas, Raphael Cavalcante Rezek, informou que a medida irá beneficiar milhares de pessoas que têm sua propriedade irregular e que
não conseguiam uma solução célere, justamente pelas dificuldades fundiárias enfrentadas em todo o País.
Outra medida de extrema importância foi a autorização para que os serviços extrajudiciais realizem conciliações e mediações diretamente no cartório, com o consequente desafogamento do Poder Judiciário.
Estima-se que, num futuro breve, todos os cartórios extrajudiciais do País se tornem “centros de serviços”, que facilitarão o acesso de qualquer
cidadão a emissão de passaportes, cédulas de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista, entre outros serviços essenciais.
Rezek elucida alguns temas relacionados à atividade: “Toda a nossa estrutura física, tecnológica e de funcionários funciona de forma extremamente
coordenada para garantir a segurança e a validade de todos os atos que praticamos. Seja um cartório do interior ou na capital, nós estamos preparados para garantir que tudo o que é nos levado tenha efeito jurídico, bem como seja válido, seguro e evite qualquer tipo de fraude”, comenta.
Para ele, o cartório extrajudicial no Brasil deu certo, pois não existe qualquer tipo de corrupção no setor, vez que não há dinheiro público envolvido.
“Os profissionais à frente dos cartórios são muito preparados e capacitados para atender a população da forma mais rápida e segura, posto que passaram por diversas fases em Concurso Público, a população precisa saber que estamos aqui para ajudá-la; que cartório não é sinônimo de burocracia, cartório é sinônimo de segurança jurídica”, ressalta.
Ele cita que os cartórios são um dos poucos setores que praticam vários atos de forma gratuita, sem qualquer custo para a população. Um dos
exemplos é o registro de nascimento, o de óbito, o casamento e os inventários para os reconhecidamente pobres, dentre outros atos. Dessa forma,
o tabelião ou o registrador arca, custeia, paga todos os custos para que qualquer cidadão consiga praticar os atos essenciais a sua vida jurídica.
“Os cartórios brasileiros são muito melhores e mais baratos que os cartórios de vários países, desta feita, existem muitos folclores em relação à
atividade, mas a verdade é que os serviços notariais e registrais no Brasil são os mais modernos do mundo”, finaliza.

Fonte: Jornal Paraná Centro