QUEM SOMOS

CONHEÇA MAIS SOBRE A NOSSA HISTÓRIA


“Garantir segurança jurídica imobiliária por meio de um serviço eficaz, conferindo publicidade aos atos praticados, com respeito às leis e às pessoas.”

“Ser um cartório reconhecido como líder no segmento registral, melhorando a imagem institucional, primando pela qualidade e agilidade na prestação de serviços, alcançando o nível de satisfação média dos usuários em 90% e o nível de satisfação média dos colaboradores em 85% em 2019”

  • COMPROMETIMENTO – com o trabalho, com o usuário, com os colaboradores e com a legislação
  • ÉTICA E RESPEITO– nas relações interpessoais.
  • CONFIABILIDADE E CREDIBILIDADE – no trabalho executado.
  • QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE – para prestar um serviço melhor.
  • UNIÃO – da equipe para a construção de um ambiente de trabalho saudável.

NOSSA HISTÓRIA

A história do Registro de Imóveis da 1ª Circunscrição de Goiânia mescla-se com a ocupação urbana do Município de Goiânia. O plano urbanístico desenvolvido para a construção da Capital do Estado de Goiás, na década de 1930, demandava o acompanhamento permanente do Poder Público, e os serviços registrais colaboraram nesse processo.

A nova Capital surgiu em um contexto de profundas mudanças. Em nível nacional, verificou-se a ascensão ao poder de Getúlio Vargas. O projeto varguista visava modernizar o país, inserindo-o no contexto da economia mundial. Neste sentido, houve a necessidade de alterar a organização dentro das próprias unidades da Federação, o que levou o então presidente da República a nomear interventores em todos os Estados.

Nesse período, Pedro Ludovico Teixeira, médico e político, ligado às regiões mais dinâmicas da economia goiana, foi escolhido interventor pelo Presidente Getúlio Vargas. Sua missão era modernizadora, e seria viabilizada pela concretização do seguinte plano: transferência da capital da cidade de Goiás para outra região. A partir de estudos e planejamentos, optou-se pela construção de uma nova cidade na região da sede do então Município de Campinas. Aí teve início a história urbana de Goiânia.

A utopia da construção da nova capital iniciou-se ainda em 1933, quando, em 24 de outubro, foi lançada a pedra fundamental da cidade. O Decreto Estadual n. 327, de 2 de agosto de 1935, criou o município de Goiânia. A partir de 1937, começaram a ser transferidos os órgãos da administração pública de Goiás para Goiânia, que foi oficialmente inaugurada em 5 de julho de 1942, cujo batismo cultural ocorreu no Teatro Goiânia. Com a instalação da Comarca de Goiânia, foi criado o Cartório de Registro Geral, e seu Oficial, Atanagildo de Queiroz França, era responsável pelos seis bairros da capital: Setores Central, Norte, Sul, Leste, Oeste e Campinas.

A ocupação da área do Município seguiu diretrizes pautadas no plano original idealizado pelo urbanista Attilio Corrêa Lima, pelo menos até os anos de 1950. O crescimento da cidade, embora tivesse sido pouco efetivo, até aquele período, demandou a criação de outro Cartório de Registro Geral, que tempos depois originou o 1º Registro de Imóveis. Criado em 1948, o Registro Geral de Campinas teve sua sede instalada na Avenida 24 de outubro, no bairro de Campinas, em frente à Praça Joaquim Lúcio, e seu Oficial era Luiz Sampaio Neto.

Aquela Serventia atendia ao bairro de Campinas e testemunhou a criação de muitos bairros de Goiânia, visto que era responsável por toda a região que ficasse a Oeste do eixo formado pelos cursos do rio Meia Ponte, Ribeirão Anicuns e córrego Capim Puba. As inscrições de inúmeros Loteamentos foram, naquela época, realizadas em Livros, pois não havia o sistema de matrículas para os imóveis, criado com o advento da Lei n. 6.015/1973. Esses Livros são importantes repositórios de rastreamento da história dos bairros goianienses.

Dentro desse contexto, houve grande fluxo populacional para a cidade, especialmente entre os anos de 1960 e 1970, o que significou mudanças que para atender a essa demanda. A principal e mais impactante de todas elas foi o desmembramento dos Serviços Registrais, que ocorreu em maio de 1968. Neste momento, foram criadas as quatro circunscrições, específicas para registro imobiliário em Goiânia, tomando como base os quadrantes criados a partir das avenidas Goiás e Anhanguera, ou seja, a praça do Bandeirante.

” inaugurou-se um novo momento na história da Serventia, sendo quebrados antigos laços com famílias tradicionais e estabelecendo-se novos compromissos com a Sociedade.”

Naquele momento, o então 1º Registro Geral de Goiânia originou o Registro de Imóveis da 3ª Circunscrição, sob a responsabilidade do Oficial Atanagildo Queiroz França, passando depois à Maria Alice Coutinho Seixo de Brito Bezerra. As 2ª e 4ª Circunscrições foram criadas neste ano, sendo aquela confiada a Maria Bahia Peixoto Valadão, que segue em sua função, enquanto que a última foi confiada, inicialmente, a José do Espírito Santo Machado, que passou a Ricardo de Castro Ribeiro e, finalmente, a Rodrigo Esperança Borba, que assumiu a Serventia em 2014, mediante concurso público. Já o 2º Registro Geral de Campinas originou o 1º Registro de Imóveis, que permaneceu sob a confiança de Luiz Sampaio Neto até o início da década de 1990, quando foi assumido por Clenon de Barros Loyola Filho.

Em 7 de abril de 2014, o Dr. Igor França Guedes assumiu a titularidade do 1º Registro de Imóveis, após aprovação no Concurso Unificado para Ingresso e Remoção nos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Goiás, realizado em 2008, que contou o impulso decisivo do Tribunal de Justiça do Estado. A partir desse momento, inaugurou-se um novo momento na história da Serventia, sendo quebrados antigos laços com famílias tradicionais e estabelecendo-se novos compromissos com a Sociedade.

A modernização do espaço urbano da cidade como um todo segue um movimento que remonta a seu passado mais rebuscado, ainda que o plano idealizado por Corrêa Lima já tenha sido, há muito, abandonado. Novos imperativos surgiram no decorrer dos anos e problemas como a junção com cidades vizinhas como Aparecida de Goiânia e Trindade (para referir-se às regiões que pertencem a esta Circunscrição) tem sido desafios para moradores e gestores.

Atualmente, os trabalhos efetuados neste Cartório se modernizam, tendo como meta a participação nesse processo, visando promover a qualidade e a confiabilidade das informações prestadas, e buscando, sempre, estar a par dos novos tempos. A modernização da Serventia garantirá a qualidade da prestação dos serviços.

Política da Qualidade

O Registro de Imóveis da 1ª Circunscrição de Goiânia visa prestar serviços que garantam a segurança jurídica imobiliária, atendendo aos requisitos aplicáveis, ligados a imóveis de forma excelente para garantir máxima eficiência e comodidade para os usuários, satisfação dos colaboradores e melhoria contínua de sua gestão. Neste sentido, a Serventia se preocupa constantemente com seus sistemas organizacionais, desenvolvendo ações que impactem na:

1. Perspectiva do cliente – desenvolvendo programas que visem reduzir prazos de entregas e melhorar a qualidade dos serviços prestados;

2. Perspectiva do aprendizado e inovação – desenvolvendo programas de treinamentos para ter uma equipe qualificada e motivada, comprometida com o serviço prestado e com a imagem da Serventia;

3. Perspectiva interna – garantindo que os processos sejam desenvolvidos da melhor maneira possível, atingindo os resultados esperados;

4. Perspectiva financeira – proporcionando eficiência administrativa e repasses públicos;

Essa preocupação leva à definição de critérios de qualidade seguidos rigorosamente e melhorados constantemente para que a segurança jurídica dos negócios imobiliários seja garantida.


OFICIAL & SUBSTITUTOS

Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), foi Procurador da Câmara Legislativa do Distrito Federal e aprovado em 1° lugar em Concurso Público Estadual para provimento dos cartórios extrajudiciais, em 2008
Bacharel em Direito pelo Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ).
Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Atuou como Advogado de 2005 até 2014. Nesse período, também exerceu a função de Assessor do Procurador Geral do Município de João Pessoa e de Assessor Jurídico da Secretaria de Estado da Comunicação Institucional do Estado da Paraíba.
Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bacharel em Direito pela Universidade Salgado de Oliveira – Campus Goiânia. Graduando em Ciências Contábeis pela Universidade Salgado de Oliveira – Campus Goiânia. Pós-Graduando em Direito Notarial e Registral pelo Instituto Brasileiro de Estudos. Pós-Graduando em Direito Constitucional pela LFG. Formação Desenvolvedor Web Java. Atua há mais de 10 (dez) anos junto a cartórios de registro de imóveis de Santa Catarina e Goiás.

NOSSA ESTRUTURA