Ocupação urbana – Expressões culturais em espaços públicos em Goiânia

25 de maio de 2017

Substituto do 1º RIGO, fala sobre a ocupação artística em espaços públicos e sobre a exposição de Arte Sacra, no Espaço Cultural Goiandira do Couto, do TJ-GO.

Está em exposição no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), vários quadros de Arte Sacra – produções artísticas que trazem como expressões o culto ao sagrado. A mostra, que ficará no Espaço Cultural Goiandira de Couto até o dia 26 de maio, tem entrada gratuita e é aberta ao público. As obras expostas são da artista plástica Delly Faria, e a exposição, que conta com cerca de 40 telas, também dispõe de esculturas à base de gesso e telhas rústicas.

Expressões culturais em espaços públicos

Previsto na Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), e no Brasil, também na Constituição Federal (1988), os Direitos Culturais são respaldados historicamente, desde a Revolução Francesa, com a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, proclamada em agosto de 1789.

A cultura é inerente à vida social humana. Um processo de resultados de percepções enquadradas em recortes da sociedade, carregados de uma bagagem de costumes e crenças.

O acesso à cultura, no Brasil, tem gerado vasta discussão no âmbito da educação. Ele é visto como precursor de uma ampla transformação social, didática e atemporal. Dessa forma, os Direitos Culturais respaldados constitucionalmente são a efetivação do exercício dos Direitos Sociais e, consequentemente, da Cidadania. O Estado tem, por função, a valorização e a promoção cultural, tendo em vista que, desde a criação do Ministério da Cultura, em 1985, o agente político-social (cultura), deve ser de acesso público, ou ter incentivos públicos.

Exposição no Tribunal de Justiça de Goiás

Nessa perspectiva, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) tem proporcionado à sociedade goianiense experiências de vivências culturais em larga escala, como conta o assessor cultural do TJ-GO, Gabriel Nascente. “A iniciativa de ter um espaço cultural dentro do Tribunal de Justiça de Goiás, surgiu em 2010, junto com a criação da assessoria cultural, que preside e administra a agenda cultural do espaço Goiandira Couto”.

De acordo com o assessor de cultura, o espaço, que leva o nome da artista plástica goiana, é uma “homenagem, um tributo à artista, que tanto contribuiu para a cultura em Goiás”. Ainda sobre o espaço, o assessor afirma a sua importância. “Ele, por si só, traz na sua essência um abrandamento espiritual, quebra a monotonia do ambiente, e abre uma janela de divulgação, já que o fluxo de pessoas que frequenta o Tribunal é muito grande”.

Segundo Gabriel, o espaço é voltado, principalmente, para a “democratização e consolidação das artes”. Anualmente, são realizadas 30 exposições “que abrem espaço e oportunidade, além de apoio logístico aos artistas que estão começando”, afirmou.

Visita importante

No último dia 9 de maio, o Substituto do Registro de Imóveis 1ª Circunscrição de Goiânia, Guerreiro Melo, em visita realizada ao TJ-GO, também prestigiou a exposição de Arte Sacra. “É uma iniciativa extremamente importante do Tribunal de Justiça, pois mostra que a instituição abre espaço para que artistas, em uma variedade de produções estéticas, possam trazer seus materiais e as suas percepções artísticas e culturais a respeito da sociedade que estão inseridos”, elogiou.

Para Guerreiro, a valoração cultural é subjetiva. “Com a divulgação de expressões culturais, das mais variadas, estamos possibilitando que o ser humano possa se manifestar, das mais diversas possibilidades, sem preconceitos, sem discriminações. Enfim, de maneira livre”, explica.

Sobre a visita à exposição, o Substituto do 1º RIGO fala da experiência e da relevância para a sociedade. “A sociedade de Goiânia só tem a ganhar com isso, tendo um espaço público que dá visibilidade aos artistas locais”, conclui.

O incentivo à promoção e à popularização da cultura, é uma marca da nova gestão do 1º RIGO.

 

Por Suellem Horácio – Estagiária de Jornalismo - (Assessoria de Comunicação Social do 1º RIGO)