Opinião

25 de maio de 2017

Cartórios extrajudiciais do Estado passam por melhorias e estão mais céleres com administração de concursados.

Três anos após oficiais e tabeliães concursados assumirem parte dos cartórios extrajudiciais de Goiás, usuários elogiam as mudanças realizadas nos estabelecimentos, as melhorias em estrutura física e na prestação dos serviços. Para a maioria deles, com a mudança, os processos foram modernizados e estão mais céleres. Os concursados assumiram suas funções em 2014, depois de aguardarem por seis anos a posse.
Usuário dos serviços prestados por cartórios, Caio César Pereira da Mota Oliveira, sócio-diretor do grupo Caio César Mota, diz que é consenso que os serviços melhoraram consideravelmente desde que os estabelecimentos passaram a ser administrados por tabeliães concursados. Entre as mudanças, ele destaca a modernização das estruturas físicas e eletrônicas (hardwares/softwares), qualificação de pessoal, desburocratização e celeridade dos processos.
Oliveira observa que, antes das mudanças, os usuários dos serviços, além de enfrentarem longas filas e espera para serem atendidos, levavam dias para obterem uma simples certidão de matrícula ou de ônus. “Hoje, após os concursos, não se leva mais do que alguns minutos para que o documento seja confeccionado e entregue ao solicitante, a exemplo dos 1º e 4º Cartórios de Registro de Imóveis. Além disso, o documento ainda pode ser solicitado à distância por meio eletrônico ou telefônico”, diz.

Ricardo Reis, diretor da GPL Incorporadora, observa que as novas instalações físicas surpreendem pelo extremo conforto a todos os usuários. Quanto aos serviços, diz que temos mais qualidade e segurança nos atos praticados e continuamente uma melhora no tempo de devolução dos documentos. Particularmente com relação aos tabelionatos a própria concorrência leva a um melhor atendimento e qualidade dos serviços prestados.

O advogado Diego Amaral, que atua no mercado imobiliário e da Construção e é presidente da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico da OAB/GO, ressalta que as mudanças ocorridas nos últimos anos nos cartórios de Registros de Imóveis de Goiânia são extremamente significativas para a população de forma geral e, principalmente, para os profissionais que atuam junto a esses cartórios. Para ele, a informatização de processos, qualidade de atendimento, capacitação de funcionários, divulgação de informações, reformas, novas instalações e outros, sem dúvida, geram uma maior produtividade e especial satisfação dos consumidores.

Investimento
Também usuário dos serviços dos cartórios, Leandro Chaer, da UrbsRT Private, lembra que, antes de os concursados assumirem as funções, a maior dificuldade era a morosidade nos retornos dos procedimentos solicitados. Hoje, ele ressalta que a maioria dos cartórios investiu muito em capacitação, qualificação, treinamento, tecnologia da informação e na adequação de sua infraestrutura e espaços físicos para atender com mais conforto os clientes.
Segundo diz, todas essas mudanças resultaram em um atendimento mais eficiente. “Acredito que os cartórios continuarão em constante evolução para se atualizarem na busca de qualificação, de conhecimento e de aperfeiçoamento nos procedimentos”, observa.

Novo momento

Claudia Machado, diretora da empresa Pilar Estratégia em Gestão de Pessoas, diz que, a partir da posse dos concursado, surgiu um novo momento na gestão de cartórios em Goiás. Ela diz que os novos tabeliães e oficiais implantaram uma gestão moderna e voltada para excelência, com objetivo de profissionalizar suas equipes e, assim, melhorar o atendimento ao usuário.
“Esses novos tabeliães e oficiais são, antes de tudo, gestores preocupados com pessoas, com crescimento cultural e organizacional; preocupados em estabelecer processos claros, e objetivos, eficientes, eficazes e, principalmente, eles estão preocupados com segurança jurídica”, declara.

Proximidade
Amaury Batista Régis, gerente geral na Caixa, observa que o cenário dos cartórios era diferente antes da atuação dos concursados. Havia dificuldade de se realizar consultas prévias; demora nos prazos de registros e certidões; inflexibilidade em relação aos meios de pagamento; prédios antigos, acomodações ruins e difícil acessibilidade. Além de as pessoas que atuavam nos estabelecimento não serem acessíveis.
Atualmente, o gerente diz que houve melhoras expressivas, que incluem agilidade nos registros, acessibilidade, visando tirar dúvidas; segurança nas rotinas; até mesmo nas questões de estruturas dos prédios, dando mais proximidade aos clientes, e a descentralizando da região central de Goiânia. Para o futuro, ele acredita que, com uma maior interação entre cartórios e bancos, será possível avançar e implantar rotinas aproveitando o avanço tecnológico, “buscando agilidade, segurança, economia e comodidade pra os usuários”, completa.

Isnard Borges Machado, diretor do Sindicato dos Condomínios e Imobiliárias (Secovi), e proprietário da Vésper Imóveis, diz que, antes da nomeação dos concursados, a maior dificuldade estava nos prazos para retorno e entrega dos títulos e certidões. Hoje, segundo salienta, a situação é plenamente satisfatória. “Temos agilidade, segurança nos procedimentos e uma postura adequada dos titulares que conduzem os processos como na iniciativa privada. Desde o primeiro momento sentimos melhoria significativa nas instalações e da estrutura dos cartórios”, declara.
Na opinião de Carlos César Prado, sócio administrador da Carlos Prado Consultoria e Participações, nestes três anos houve modernização do espaço físico, até mesmo nos cartórios em que os titulares permaneceram os mesmos, o que foi benéfico para o atendimento ao público. Além disso, percebeu-se neste período melhor qualificação dos atendentes, gerando celeridade no atendimento. E, a descentralização dos locais onde os cartórios passaram a atender, trouxe mais conforto para os usuários, além de ampliar a clientela dos cartórios.

Cartórios trabalham investimentos com foco na segurança e na celeridade

O presidente da Associação dos Titulares dos Cartórios (ATC) , Rodrigo Esperança Borba, afirma que desde que assumiram os cargos, os concursados têm feito uma verdadeira revolução na prestação desses serviços em Goiás. “A busca pela eficiência passou a ser uma constante nos cartórios goianos”, pondera Borba, que é titular do 4º Registro de Imóveis de Goiânia.
Atrasado em relação à maioria dos demais Estados do Brasil quanto à regularização das delegações cartoriais por concurso público, Borba afirma que nunca Goiás viu tantos investimentos pelos cartorários para a melhoria da prestação do serviço.
Segundo ele, novas instalações, reformas estruturais, aumento de guichês de atendimento, aumento de conforto para os usuários, diminuição de tempo de espera, diminuição de prazo para conclusão de procedimentos, adoção de métodos gerenciais eficientes, capacitação de colaboradores, maior diálogo com os usuários, maciça informatização e recuperação de acervos documentais, tudo isso vem ocorrendo nesses três anos, com amplo benefício para a população.

Segurança dos atos
Agda Ferreira Rodrigues da Cunha, tabeliã e oficiala de registro em Alto Paraíso de Goiás, distrito de São João D’Aliança, diz que, assim como em outras serventias, o Serviço de Registros Públicos e Tabelionatos de São João D’Aliança trabalha hoje com foco na segurança dos atos que pratica, tudo aliado à eficiência e celeridade dos processos. Ela relata que, em uma serventia com poucos recursos, conseguiu-se neste período que 90% de nossos processos sejam atendidos em um prazo de sete dias, sendo que as cédulas são registradas em menos de 24 horas e as escrituras lavradas e registradas em, no máximo, três dias.
A tabeliã lembra que, antes do ingresso da titular por concurso, os processos levavam 30 dias ou mais para alcançarem registro e toda e qualquer certidão somente era emitida após cinco dias. “Hoje, as certidões são emitidas na hora, salvo aquelas relativas a registros que necessitam ser digitados, uma vez que, ainda, não conseguimos concluir a digitação de todo o acervo”, esclarece. Agda salienta que a estrutura física também sofreu grande transformação. O cartório em questão ganhou mobiliário novo e hoje temos atendimento com senha e ar condicionado, o que não existia antes.
Gustavo Simões Pioto, tabelião de notas e protesto em Padre Bernardo, no interior do Estado, ressalta que após o ingresso dos aprovados por concurso público houve simplesmente uma revolução em Goiás, no que tange à prestação dos serviços e atendimento. Ele observa que foram efetuadas mudanças de estrutura, qualificação de pessoal, investimentos para melhoria na prestação dos serviços e a busca pela excelência na prestação de serviços.
“Hoje, os cartórios assumidos por concursados foram modernizados, informatizados e oferecem conforto e eficiência aos usuários na prestação do serviço”, diz o tabelião. Gustavo Simões Pioto lembra, ainda, que já no primeiro ano após os novos concursados ingressarem, o Goiás teve o segundo maior número de cartórios premiados no ano de 2016, com os selos de qualidade PQTA Anoreg BR.
Sandro Alexander Ferreira, oficial registrador em Águas Lindas de Goiás, observa que as medidas de segurança implantadas impediram as transferências fraudulentas. Além disso, com as mudanças trazidas pelos concursados aumentou a colaboração com órgãos públicos e o atendimento está mais rápido, preciso e, principalmente, mais seguro. “Quanto mais preparados os titulares, melhor. Concursos públicos garantem isso”, completa.


Fonte: Rota Jurídica - Por Wanessa Rodrigues - Postado em 11 de maio de 2017 às 8:33