Programa Construindo o Futuro: 1ºRIGO recebe a visita de pais e responsáveis de jovens aprendizes

17 de dezembro de 2019

O Registro de Imóveis da 1ª Circunscrição de Goiânia (1ºRIGO) recebeu, na última sexta-feira (13/12), os pais e responsáveis pelos jovens aprendizes selecionados para o Programa Construindo o Futuro. Na ocasião, reuniram-se os jovens e seus pais com os supervisores que relataram a convivência e a postura dos jovens e discorreram sobre a importância do Programa para formação profissional deles.

Os pais e responsáveis falaram um pouco sobre o período que os jovens estão trabalhando na Serventia, elogiaram e agradeceram pela oportunidade proporcionada com a realização do Programa. Entre as mães estava Lucilene das Mercês Rodrigues Pinto, 34 anos, mãe do Pedro Lucas. Ela afirma que o Programa foi uma oportunidade para que seu filho pudesse ter uma perspectiva de futuro, na vida profissional.

“O Pedro, desde novo, sempre foi responsável. Com a entrada no cartório, ele ficou mais responsável ainda e eu vejo a diferença nele, eu vejo a vontade de crescer aqui, de trabalhar. Então, para mim, como mãe, isso é orgulho porque eu crio ele sozinha e é uma forma de ver que todo meu esforço não foi em vão. Eu vejo, na atitude dele, a recompensa de todo meu esforço” declara.

O Programa Construindo o Futuro começou em 2019 com o objetivo de contribuir na formação pessoal e profissional de adolescentes em idade escolar. A proposta é oportunizar aos estudantes de escolas públicas de Goiânia o acesso a uma estrutura técnica e de apoio para uma formação humana, cultural e psicológica, com ênfase no aspecto profissional.

Marizete Batista de Oliveira, 52 anos, mãe da Thainara, compareceu ao encontro para conhecer as instalações da Serventia e saber como tem sido a participação de sua filha no Programa. “Desde que entrou aqui, a Thainara cresceu muito e ela gosta muito daqui, de trabalhar aqui, de servir, porque ela gosta de ser útil, de onde precisar, eu acho que ela vai. O cartório só acrescentou na vida dela” afirma.

Outra mãe presente no encontro foi Eliane da Silva Meireles, 38 anos. Ela que é mãe da jovem Geovana relata que a filha perdeu a avó quando estava participando do processo de seleção do Programa. “Depois que ela entrou aqui, o comportamento melhorou 100%, em termos de responsabilidade mesmo, pois nas outras coisas ela sempre foi maravilhosa. Na escola, ela sempre tira notas boas. Não tenho que reclamar de nada” afirma.

O pai do Caio Emanuel, Robson Franco Faria, 50 anos, também relata ter percebido um aumento no senso de responsabilidade do jovem após sua participação no Programa Construindo o Futuro. “A gente percebe que ele levanta cedo, desperta, faz tudo sozinho. Não precisa ficar pegando no pé dele, exigindo. Às vezes, a gente conversa, dialoga e eu pergunto para ele se está tendo alguma dificuldade, para tentar orientar ele, ajudar ele e eu senti isso nele: o crescimento de responsabilidade e de comprometimento”, aponta.

Ravena Carvalho, 33 anos, é a mãe do Túlio Cesar e relatou que a participação no Programa Construindo o Futuro contribuiu para que o jovem planejasse a sua renda e o seu futuro. “Eu percebi que ele teve uma mudança, e brusca, depois que ele veio para o cartório, no sentido de sonhar. Ele hoje planeja, ele faz cálculos do que ele ganha, do que ele pode comprar. Hoje, ele pensa no futuro através do cartório”, afirma.

O Programa Construindo o Futuro, idealizado pelo Oficial do Registro de Imóveis da 1ª Circunscrição de Goiânia, Dr. Igor França Guedes, para o qual foram selecionados cinco jovens de escolas públicas com melhor pontuação no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Esses jovens tiveram seu vínculo contratual formalizado com duração de 22 meses, dedicando quatro horas por dias nas atividades internas da Serventia.